cistectomia

Cistectomia ou Cistoprostatectomia  Radical

A Cistectomia, ou Cistoprostatectomia Radical, é a retirada de bexiga, próstata e vesículas seminais. Esse tipo de cirurgia pode ser indicado em casos de tumores da bexiga, na maioria das vezes, invasivos. Vale esclarecer que existem três tipos de tumores que se iniciam nas células que revestem a bexiga, e eles são classificados em:

  • Carcinoma de células de transição;
  • Carcinoma de células escamosas;
  • Adenocarcinomas.

O primeiro deles é responsável pela maior parte dos casos, tendo seu início na camada mais interna da bexiga. Já o Carcinoma de células escamosas da bexiga pode ocorrer por um estímulo inflamatório crônico. Por fim, o Adenocarcinoma é aquele que começa nas células glandulares e pode atingir a bexiga depois de uma longa inflamação ou irritação.

A maior parte dos casos são tratados com uma ressecção transuretral do tumor da bexiga (RTU), uma espécie de raspagem desses tumores, em sua maioria, polipoides (em forma de pólipo), seguido de um tratamento com BCG intravesical, com o intuito de tratar esses tumores ditos superficiais para tentar, com isso, preservar a bexiga.

Nos casos em que se faz necessária a retirada da bexiga, algumas técnicas podem ser utilizadas. Por se tratar de um elevado grau de complexidade, é importante buscar uma equipe experiente não só na sua realização, mas também no seu manejo pós-operatório.

Para retirada da bexiga é necessário que se faça a reconstrução do trato urinário (caminho por onde a urina passa para ser eliminada), podendo ser feita uma nova bexiga com o intestino ou um tubo de intestino que comunica o ureter com o exterior do abdome (urostomia).

Cistectomia Robótica ou Robô-Assistida

O tratamento dos tumores da bexiga com cistoprostatectomia radical pelo auxílio da robótica é uma técnica bastante escolhida em casos de retirada da bexiga, na qual são realizadas pequenas incisões, o que permite que o abdômen fique fechado por mais tempo.

Confira os benefícios dessa técnica cirúrgica adotada pelo Dr. Raphael:

  • Controle preciso dos instrumentos, pinças articuladas e delicadas, que reproduzem com perfeição os movimentos da mão do cirurgião.
  • Imagens com resolução de qualidade, proporcionando o melhor detalhamento dos planos dos tecidos e anatomia crítica.
  • Reduz o sangramento e a possibilidade de transfusão sanguínea.
  • Proporciona uma recuperação mais rápida, menos dolorosa e esteticamente satisfatória.

Durante um período visitando o Instituto Karolinska, na Suécia, que é um dos centros de referência em cistectomia robótica no mundo, o Dr. Raphael passou a operar os primeiros casos de cistectomia robótica na cidade do Rio de Janeiro e, desde então, vem realizando todas as cistectomias por robô, inclusive com a reconstrução da via urinária intracorpórea, que é quando não há a necessidade de abrir o abdome.